sexta-feira, 26 de junho de 2009

Tributo a Michael Jackson



Este é o meu tributo ao artista que eu aprendi a gostar com Billie Jean, Thriller, e outras mais ou menos da mesma época.



Lamento o seu desaparecimento numa idade que prometia, ainda, muitos êxitos. Confesso, contudo, que gostava mais dos tempos anteriores às cirurgias a que foi submetido que o transformou irremediavelmente a tal ponto de não reconhecer mais a sua personalidade e imagem. Ficou o artista que agora nos deixa.

Àquele que eu reconheço fica o tributo e o desejo que descanse, finalmente, em paz.

11 comentários:

  1. Independentemente de tudo, é um marco na história deste planeta...não há ninguém que não o conheça, por um ou outro motivo, e foi sem dúvida um extraordinário cantor. A sua música ficará para sempre...acho que ainda nem acredito...

    bjs

    ResponderEliminar
  2. Vim do Reflexos onde ouvi e vi um dos vídeos que mais gosto do Michael. Durante o dia já vi mais alguns no youtub. Nestas ocasiões bate sempre uma nostalgia!
    Mas um artista permanece para sempre no mundo dos mortais com o seu legado, é o caso do rei da Pop.
    Até sempre Michael *

    ResponderEliminar
  3. para mim Billie Jean é a melhor musica de Michael Jackson.

    ResponderEliminar
  4. Na qualidade de cantor, não me inspirava grandes momentos... Francamente eu não era sua fã. Mas gostos não se discutem, respeitam-se, pois. (É suposto!)

    Assim sendo, lamento, apenas, a sua morte. É sempre penosa a palavra morte... E nem tem a ver com a idade dele, um "jovem" de 50 anos, parece.
    Mesmo que tivesse 90,aos seus custaria de igual forma (e por seus, entenda-se família, amigos e fãs).
    Que os filhos dele tenham alguém por perto capaz de lhes minimizar tal perda... :(

    Muitos beijinhos, Tité

    *

    ovinho*

    ResponderEliminar
  5. Caras amigas,

    Se nos abstrairmos dos seus problemas "transformistas" todas as suas músicas são êxitos mundiais.
    O Guiness do maior número de cópias vendidas ainda é dum disco seu.
    Agora passará de estrela problemática a mito da pop music.
    É assim sempre que as grandes estrelas nos deixam precocemente.

    E os rios de tinta que ainda irão correr muito para além das nossas existências.

    rip

    ResponderEliminar
  6. A mim, os problemas transformistas dele (que até nem considero o transformismo um problema) nunca me afectaram. Até porque quando o conheci enquanto artista, não aparentava "sofrer de mal algum".
    Mas nunca me senti atraída por ele. Não fez parte das minhas viagens musicais, simplesmente. Outros fizeram. E com outros problemas também, eventualmente.

    E, na verdade, ainda bem. Pois quando recairam sobre ele as suspeitas de pedofilia tão badaladas na altura (e que, claro, todos já esqueceram... Porque morreu!) senti um alívio por nunca ter sido sua fã. É que iria ser dolorosa para mim a sensação de tristeza... Nessa altura, sim... Eu ficaria triste. Como não gostava dele, limitei-me a abominá-lo, sem grandes pudores, como faço com quem quer que seja relacionado com essa arte: a de molestar crianças silenciosas.

    Li há pouco algo num blog e com o qual não podia concordar mais... Não querendo chocar quem quer que seja, passo a partilhar:
    "Foi um grande artista, mas um ser humano reles."

    (Aviso que não fui eu quem escreveu isto. não me "apedrejem", já. É uma citação. No entanto, não poderia eu estar mais de acordo.)

    Opiniões.

    Muitos beijinhos, Tité! *

    (Peço desculpa pela minha opinião ser divergente, mas como não havia uma etiqueta a pedir que apenas comentassem os fãs... eu comentei, como sempre.)

    ResponderEliminar
  7. Ovinho,

    Ando a escrever cada vez pior. Ou pelo menos depreendo isso dos teus comentários.
    Achas que do meu comentário se depreende que eu idolatrava o MJ?
    Apenas gostava das suas músicas.
    Do seu comportamento... nem um pouco mas, depois duma longa entrevista que vi ontem da TVCabo e transmitida pela TVRecord, brasileira, acho que muito "são" era ele depois de tudo o que o pai o fez passar a ele e aos irmãos.
    A história deste artista há-de ser escrita e re-escrita vezes sem conta e então se compreenderá muita coisa.
    Neste momento o que me interessa mesmo é a sua música de que gosto realmente.
    Já estou farta de comentar que as pessoas têm as opiniões que têm e eu não tenho que concordar com elas.
    Cada pessoa é um mundo.
    O que pode acontecer é eu ficar cansada de viver em contradição com esse mundo e preferir isolar-me.

    Beijosssss

    ResponderEliminar
  8. Tité

    todas as estrelas brilham, umas por mérito próprio, outras porque alguém as faz brilhar.
    Fiz algumas coreografias com músicas dele, nas festas das minhas estrelinhas e nem que seja só por isso, desejo que ele encontre neste seu novo caminho, uma luz redentora e pacificadora.

    Para ti, todo o brilho do meu Pó de Estrela

    ResponderEliminar
  9. Não, tité! :)

    eu apenas insisti aqui que essa questão do "transformismo" não afectava a má ideia que eu tinha dele, pois não o apreciava simplesmente como artista. Isto decorrente de críticas e críticas que se lêem sobre ele ser negro e querer ser branco, sobre o modo como teve os filhos e blá blá blá, quando o que está em causa é a morte de um ser humano, igual a todos.
    Estava, apenas, a conversar consigo!

    Eu também noto que ando eu a escrever muito mal! ehheheheheh

    Muitos beijinhos!*

    ovinho*

    ResponderEliminar
  10. Olá Amiga.
    Deixa-me agradecer à nossa amiga Ovinho. Poupei 5 minutos das minhas 25 horas diárias para fazer o comentário que iria fazer de certeza, e o meu seria certamenta
    mais apimentado.
    Apenas como ser humano que era:- Paz à sua alma.
    Dinis

    ResponderEliminar



Agradeço a vossa visita e os vossos comentários.

Volte sempre!!!!!!